PLATAFORMA

IV PromovEaD debate Mobilidade e Moodle no 2º dia

O segundo e último dia da IV PromovEaD, que foi realizada em Salvador, Bahia, foi de muitos questionamentos e algumas sugestões de caminhos para os próximos passos da Educação a Distância. A professora Elisa Tuler Albergaria (UFSJ/UniRede), por exemplo, apresentou algumas questões em torno da mobilidade acadêmia, que é um dos grandes nós desta modalidade de ensino.

Seria possível que um aluno montasse, dentro de uma ementa básica, uma grade curricular mais personalizada? Cursar matérias que são oferecidas por outras universidades que fazem parte de uma rede, mesmo não sendo ligada diretamente a graduação escolhida, é algo viável? Outro ponto é fazer a passagem de alunos presenciais para Educação a Distância de maneira menos traumática.

A percepção geral é a de que um movimento pioneiro como o da Educação a distância não deveria ter ementas nem uma rede engessada. Um novo caminho na educação está sendo construído a partir da construção e fortalecimento desta modalidade.

promovead-bahia02

Sobre o Moodle, a apresentação de Daniel Neis e Willian Mano foi em torno das possibilidades que essa plataforma, que tem o código aberto. Eles frisaram a importância em atualizar versões do programa, para que a universidade usufrua de todas as funcionalidades da plataforma, e também a relevância atual para que o Moodle tenha um layout responsivo, para que a navegação seja agradável pelo celular e/ou tablet tanto quanto é para um computador.

Outro ponto levantado é a acessibilidade do conteúdo hospedado no sistema e aplicativo Moodle. Segundo apresentação de Willian Mano, a “acessibilidade não se trata de custo ou altruísmo, acessibilidade é investimento”. Isso porque, o fato da educação ser a distância e estruturalmente digital, faz com que mais essa modalidade educação seja mais adequada para pessoas com deficiência.

UNIVERSIDADES CONSORCIADAS

APOIO

Governo do Estado do Rio de Janeiro